Aproximação e busca de novas parcerias

Promovido e financiado pelo Ministério do Comércio da República Popular da China – MOFCOM juntamente com a Secretaria do Comércio da Província de Jiangxi e organizado pela Faculdade de Estudos Estrangeiros desta província, o Seminário sobre a Capacidade de Governança, foi oportunizado aos Estados de Mato Grosso, do Paraná, Alagoas, Bahia, Goiás, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Paraíba entre os dias 22 a 31 de Julho.

Representando nosso Estado, estiveram presentes no encontro o Secretário de Gestão Sr. Julio Modesto e o Secretário de Transparência e Combate a Corrupção, Sr. Fausto Freitas, além da participação da Sra. Rita Chiletto das Relações Internacionais.

Os países se assemelham em extensão territorial, mas se diferenciam muito em população. Com 7 vezes mais habitantes que o Brasil, aproximadamente 1.4 bi, a China é composta por 31 Estados, lá denominadas como Províncias, sendo 27 províncias com inúmeras cidades e 4 cidades estado, dentre elas, Shangai e Pequim, que tivemos a oportunidade de conhecer.

A província de Jiangxi, com seus 11 municípios, 100 distritos e 46 milhões de habitantes, se destaca no cenário nacional em razão da sua localização estratégica no Sudeste da China e próxima em uma distância em linha reta de 600 km de grandes cidades e dos principais portos chineses.

Com 6.000 km de autoestradas e 3.873 km de ferrovias, a província propicia uma rede de transporte que viabilizam o acesso a grandes cidades e possibilitam a movimentação de cerca de 20.000 containers. Esta vantagem geográfica tem possibilitado a província o recebimento de investimentos estrangeiros por vários anos, sendo líder na China nesse ranking, o que denota ainda mais o apetite na expansão de negócios com o Brasil.

O país também planeja expandir sua rede de ferrovias de alta velocidade para 30 mil km até 2020. No período, 36 milhões de moradias serão construídas.

Existem ainda 8 aeroportos com rotas internacionais para Hong Kong, Coréia do Sul, Sudeste da Ásia e Europa, além de uma manifestação clara da criação de uma rota direta para o nosso País.

Forte no turismo, e detentora de patrimônios mundiais geológicos e naturais, a província se destaca pelo seu desenvolvimento sustentável, focada em baixa emissão de carbono e crescimento verde, promovendo com a sua experiência a construção da civilização ecológica em todo o país.

Com tradições e obras milenares, como o colégio Bailudong, o Pavilhão do Príncipe Teng e uma das montanhas sagradas do Taoísmo, a Montanha Longhu, a província é considerada a capital da porcelana, que tem sua origem e tradição na cidade de Jingdezhen.

Seu desenvolvimento industrial se baseia em indústrias de aviação, manufatura de precisão, metalurgia, medicina chinesa e bio-farmacêutica, indústria de alimentos, indústria elétrica entre outros. Nos últimos anos, demonstrou forte crescimento em indústria fotoelétrica, cobre de alta precisão, veículos especiais, turismo e alimento verde.

Mas o que chama a atenção são os resultados obtidos no curto prazo, fruto das políticas econômicas e estratégicas de crescimento baseadas no crescimento sustentável, equidade social, o livre comércio e a interconectividade entre os povos, que propiciou a China a se tornar hoje na segunda maior potência econômica no mundo.

O 13º plano quinquenal, aprovado em 2016, prevê um crescimento de 6,5% da economia ao ano. Até 2020, o país terá 150 mil km de ferrovias, 5 milhões de km de estradas, 260 aeroportos e 2.527 cais para navios de mais de 10 mil toneladas.

No setor energético, o país pretende duplicar sua capacidade de energia eólica e triplicar sua capacidade solar, numa efetiva transição para uma economia de baixo carbono.

Por meio de uma visão econômica ambiciosa de abertura e cooperação entre os países, o presidente da China, Xi Jinping, criou em 2013 um projeto denominado “Uma Faixa e uma Rota”, que se baseia em uma faixa econômica e uma rota marítima da Seda do século XXI, que abrange 65 países, 4.4 bilhões de pessoas e um valor total econômico de 21 trilhões de dólares, tendo como princípio a construção e o gozo dos benefícios em conjunto.

Muitas são as oportunidades de aproximação entre o Estado e Mato Grosso e a província de Jiangxi. O seminário nos oportunizou um melhor conhecimento da cultura, da tradição, dos pilares econômicos e de algo que para nós precisa ser absorvido como lição, a visão e o planejamento de longo prazo. Precisamos pensar para os próximos 50 anos criando as condições no presente para um crescimento sustentável, promovendo como nossos amigos, uma melhor educação, a equidade social ao nosso povo, aliando no caso do nosso estado em um crescimento baseado naquilo que já somos referência, que é a produção agrícola aliada a economia verde, sendo capazes de promover também o desenvolvimento industrial ampliando a geração de emprego e reduzindo sensivelmente a pobreza.

O Brasil vive uma crise sem precedentes, mas cabe a nós enquanto governo estadual, enxergar as oportunidades e os potenciais do nosso estado para abastecer o mundo, fortalecendo parcerias com as potências que podem contribuir na outra via, com nosso desenvolvimento. A China demonstra exatamente isso, a troca econômica por meio de cooperação entre ambos os países e o seminário oportunizou ainda mais essa aproximação gerando oportunidades reais e concretas para o Mato Grosso.

Em outubro deste ano, retornaremos a China com uma agenda propositiva com o Ministério do Comércio da China em um Fórum organizado pelo nosso Estado e com contratos que podem ser celebrados já nessa visita e oportunizarão a implantação de fábricas que contribuirão diretamente para o nosso desenvolvimento.

“Ao povo chinês, xie xie (obrigado) e até breve!”

*Júlio Modesto é secretário estadual de Gestão de Mato Grosso

Deixe uma resposta