Ampa doa livros sobre a evolução do algodão para escolas e bibliotecas do Estado

Aproximadamente mil exemplares do livro ‘Algodão – Os pioneiros que Transformaram Mato Grosso em um Grande Produtor’ serão doados a escolas e bibliotecas do Estado. Produzido pela Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), a obra conta a história do cultivo da planta no Brasil, desde o período pré-colonial, época em que os índios utilizavam as fibras para montar suas peças, até os dias de hoje, quando Mato Grosso se tornou o principal produtor do pais.

“O algodão está muito envolvido com a historia de nosso estado, temos 2/3 da produção nacional. Este livro, escrito pela jornalista Martha Baptista e impresso pela editora Entrelinhas, foi um trabalho de pesquisa completo, que mostra o resultado e o sucesso do cultivo em Mato Grosso. A entrega destes exemplares e o apoio que demos na reforma do Palácio da Instrução, nos anos 2000, é uma forma de contribuir um pouco com a nossa cultura”, destacou o presidente da Ampa, Alexandre Schenkel, durante o ato de assinatura de doação da obra que mostra a evolução do algodão em Mato Grosso. O evento foi realizado no Palácio Paiaguás, nesta terça-feira.

No total, 760 exemplares foram doados para a secretaria de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) e serão distribuídos para escolas dos 141 municípios. “Essa iniciativa mostra que nosso setor produtivo esta comprometido com a construção do futuro e da cidadania. Também é essencial que os estudantes possam conhecer a historia destes grandes homens pioneiros, que vieram para Mato Grosso e estão nos ajudando, junto a população daqui, a construir um dos principais estados do Brasil”, afirmou o secretário de Educação, Marco Marrafon, exaltando a o papel fundamental que a Ampa tem em parcerias sociais com o estado.

Entre essas parcerias está a confecção de 1,6 milhões de camisetas para os alunos da rede estadual em 2016 e 2017. A vestimenta, que leva o símbolo do algodão de Mato Grosso, tem o valor de R$ 3 reais a unidade e cada aluno tem o direito a duas peças, recurso usado para melhorias nas escolas. “Antes do projeto cada aluno comprava uma camiseta por 17 a 25 reais, agora ele troca por três reais. Eu fico orgulhoso por darmos condições de nossos alunos frequentar a escola com um pouco mais de dignidade. A edição do livro foi muito bem elaborada, chama atenção pela sua qualidade. Não há capacidade do Estado se desenvolver sem que a iniciativa privada esteja presente, envolvida com as questões sociais e com o momento histórico que nós vivemos”, afirmou o governador Pedro Taques.

As pessoas que vivem no interior, principalmente em áreas produtivas, poderão identificar a sua trajetória de vida com a das pessoas cujas histórias estão ilustradas no livro, ressaltou a secretaria adjunta de cultura, Regiane Berchieli. “É um material belíssimo, lúdico, com muitas fotos, importante para levar a história econômica do nosso estado para o interior. Os 200 livros que a cultura recebeu serão doados para a Biblioteca Estadual Estevão de Mendonça e mais 154 bibliotecas municipais e comunitárias do estado. É um registro de nossa historia que vai ficar em cada município”.

Deixe uma resposta