BB oficializa regras para renegociação das dívidas rurais hoje

Nesta terça-feira, o superintendente do Banco do Brasil em Mato Grosso, Renato Barbosa, comunica oficialmente ao governador Blairo Maggi as regras definidas pela instituição para renegociação das dívidas dos produtores rurais do Estado. Também participam da audiência, às 10h00, no gabinete do governador Blairo Maggi, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Homero Pereira e os representantes das associações de produtores de soja (Aprosoja), algodão (Ampa) e de gado (Acrimat), entidades que acompanharam Blairo Maggi, nas reuniões em cinco ministérios e na superintendência do Banco do Brasil, no início do mês, alertando o governo federal sobre os reflexos econômicos e sociais da crise da agropecuária, no Estado.

Para o presidente da Famato, a interferência do governador foi fundamental para que as medidas no banco fossem agilizadas. O anúncio do processo de renegociação acontece em menos de quinze dias depois da articulação na capital federal. “Nossa estratégia em colocar o governador Blairo Maggi à frente das negociações com o governo federal, deu certo”, comemora Pereira.

Agora, os produtores têm que agir com rapidez, diz ele. “Não é dinheiro subsidiado, é dinheiro de mercado e o produtor não pode perder esta oportunidade. Aqueles que ficarem fora deste processo, nestes próximos 30 dias, certamente terão um outro tipo de tratamento do banco. O tratamento jurídico, com a inclusão no cadastro de inadimplentes e conseqüente, restrição ao credito. Por isso, o produtor não pode perder esta oportunidade”, reforça.

Na avaliação da Famato o produtor conseguiu a ponte que estava precisando para superar este momento de crise em que ele está descapitalizado. O custo que o produtor deverá arcar para alongar o pagamento da dívida, em princípio, será TR mais 1% ao ano. O índice não foi confirmado, mas para Homero Pereira, de qualquer forma a taxa será menor do que a praticada no mercado.

Banco do Brasil quer “zerar” a conta dos produtores em tempo recorde – Agilidade na análise das propostas. Esta é a garantia do superintendente Regional do Banco do Brasil em Mato Grosso (BB-MT), Renato Barbosa, no processo de renegociação das dívidas com os produtores rurais de Mato Grosso. Barbosa afirma que quer “zerar” o mais rápido possível os 23% de inadimplência dos produtores rurais, o equivalente a R$ 960 milhões (até 31 de dezembro de 2005) de um total de R$ 4 bilhões liberados para o financiamento da Safra 2004/2005, pelo Banco no Estado. “Nós gostaríamos de zerar esta conta porque nós temos outra safra para tocar. Se a gente conseguir será uma vitória extraordinária e eu acredito que dá. Há equilíbrio e boa vontade da nossa parte e, da parte do nosso cliente, esperamos os mesmo”, assegura o superintendente regional.

A apresentação do pedido de refinanciamento da dívida tem que ser feita pelo produtor até 20 de março e até 30 de abril realizar o pagamento da entrada do valor renegociado. “Nós já estamos em uma outra safra e ainda estamos acertando dívida da anterior, 2004/2005. Temos que por um fim nisso. A gente entende que até 30 de abril, cerca de 80% da produção estará colhida e já em comercialização, por isso, dá perfeitamente para o produtor fazer o recolhimento da primeira parcela do que foi renegociado”, considera Renato Barbosa.

DIVULGAÇÃO DAS REGRAS- A Famato e o Banco do Brasil vão divulgar as regras e tirar dúvidas dos produtores rurais interessados em refinanciar as dívidas e alertar para que as propostas sejam encaminhadas o mais rápido possível, em 12 cidades-pólo de Mato Grosso, de 20 a 23 de fevereiro. O cronograma de visitas definido pelo gerente de Agronegócios da superintendência do Banco do Brasil, no Estado, Olímpio Calixto Vasconcelos e a Famato abrange os municípios que concentram o maior número de produtores em débito no Estado.

A federação e os sindicatos rurais também estão repassando as informações aos agricultores. É fundamental que o produtor procure o engenheiro agrônomo que fez o seu projeto para fazer a proposta de prorrogação e protocolar nas agências do Banco do Brasil.

Confira o cronograma de visitas e o horário das reuniões:

20.02- Segunda-feira: Nova Mutum (8H00); Lucas do Rio Verde (11H00); Sorriso(16H00);Sinop (20H00)

21.02- Terça-feira: Diamantino (8h00); Campo Novo do Parecís (11h00); Tangará da Serra ( 16h00)

22.02- Quarta-feira: Rondonópolis (8h00); Alto Araguaia (12h00); Água Boa (17h00)

23.02- Quinta-feira: Primavera

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta