Blairo diz em Lucas em evento com Temer que usina ajuda consumir parte da safra de milho

O presidente Michel Temer (PMDB) e o ministro Blairo Maggi (PP) lançaram, esta manhã, na fazenda Cortezia, em Lucas do Rio Verde, a colheita nacional de algodão. Mato Grosso concentra 67% da produção nacional.  “O Brasil deverá colher 1,5 milhão de toneladas de algodão pluma, mesmo com a estimativa de queda de 1,7% na área cultivada. Mato Grosso é disparado o maior produtor do país, com produção total de algodão em pluma que deve chegar a 1 milhão de toneladas”, disse o ministro.

Em seu discurso para produtores e lideranças do agronegócio e política, na inauguração da usina de etanol em Lucas, Blairo lembrou das dificuldades dos produtores de milho. Ele destacou que o governo “socorre, ano após ano”, os produtores para equilibrar os preços do cereal. “Podemos fazer uma safra de 200 milhões de toneladas de milho, que não vai adiantar. Com o preço de R$ 13, o produtor não paga os custos. Esta planta aqui vai enxugar 600 mil toneladas. Se tivermos 10 iguais, tiramos do mercado 6 milhões de toneladas. É praticamente o que o governo ajuda. Nós, como governo, temos interesse neste tipo de empreendimento”, afirmou o ministro. “Não deve ter a conversa que estamos usando comida, cereal, para fazer etanol. Hoje são 30 milhões de toneladas aqui e não tem onde colocar”, afirmou, elogiando o ex-prefeito de Lucas, Marino Franz, e parceiros comerciais dele que construiram a usina.

A usina da FS vai comprar boa parte da produção de milho em Lucas, Sorriso, Tapurah, Nova Mutum e demais cidades da região. Teve investimentos US$ 115 milhões e produzirá anualmente aproximadamente 210 milhões de litros de etanol, 180 mil toneladas do 3 coprodutos, e 6,2 mil toneladas de óleo de milho, além de exportar 60.000 megawatts de eletricidade. O presidente da empresa, Henrique Ubrig, disse que a tecnologia implantada é usada em mais de 100 usinas nos Estados Unidos. “Vamos encurtar caminho entre a América do Norte e a América do Sul. Vamos oferecer uma opção para o mercado preenchido pelo produto americano. Precisamos de mercados e logística eficientes. Do Mato Grosso podemos atingir o planeta. Isso é possível”, discursou.

Deixe uma resposta