Indea pede R$ 16 milhões para defesa sanitária em Mato Grosso

Para realizar as ações que competem ao Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), o órgão submeteu um novo convênio à apreciação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Para defesa sanitária em 2018, o Indea prevê investir R$ 16 milhões, mais que o dobro (166%) de 2017, quando o orçamento foi de R$ 6 milhões, segundo o presidente do Indea, Guilherme Nolasco.

Além desses recursos, são considerados R$ 6 milhões adicionais no ano pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa). “Acabamos de submeter ao Ministério da Agricultura novo convênio para defesa sanitária”, afirmou Nolasco. Para intensificar a vigilância sanitária e avançar na retirada da vacinação contra febre aftosa a partir de 2019 será preciso ampliar os postos de fiscalização fixos e fortalecer a fiscalização volante. “Nos últimos 3 anos inauguramos 2 pontos fixos, em Guarantã do Norte e Vila Rica, além de colocar mais 11 fiscalizações volantes no Estado”.

Também foram investidos recursos na manutenção de 2,3 mil postos de treinamento com a capacitação de 1,673 mil profissionais, sendo 630 médicos cadastrados e 370 agentes de fiscalização. Atualmente, o Indea mantém atendimento em 140 dos 141 municípios mato-grossenses, completa Nolasco. “Já apresentamos também ao Ministério nosso Plano Estadual para retirada da vacinação, que deverá ser validado pelo Mapa”, informou.

A estrutura de vigilância do Indea foi reforçada com 6 caminhonetes que atuam na fronteira com a Bolívia, onde são registradas 960 propriedades. Os agentes do Indea atuam no acompanhamento de embarques e desembarques de animais na região. Em novembro do ano passado, 25 veículos novos foram entregues pelo governo do Estado para auxiliar o trabalho de fiscalização do Indea. Até julho deste ano os investimentos serão voltados à reforma e entrega de 100 novas unidades do órgão.

Deixe uma resposta