Influência da aftosa nos preços do boi é indireta

A febre aftosa na Argentina poderá influenciar, indiretamente, os preços da arroba do boi gordo no Brasil. As cotações poderão ter alta caso a doença no país vizinho resulte em mais rapidez na reversão do embargo ao Brasil por mercados como Rússia, União Européia e Chile. “Nas próximas semanas, saberemos quem vai levantar o embargo à carne brasileira. À medida que as importações forem retomadas, a demanda irá aumentar, elevando os preços”, diz o analista da Scot Consultoria, Fabiano Tito Rosa.

A arroba do boi gordo é negociada em São Paulo a R$ 52 desde o início do mês, segundo a Scot Consultoria. Diante da expectativa de reversão parcial dos embargos, os produtores podem reter a oferta. “O preço está muito baixo. A aftosa na Argentina impede que haja novas quedas”, diz Geide Figueiredo Junior, do Instituto FNP. Ele concorda que o episódio argentino resultará em preços melhores para a carne brasileira “se a retomada dos embargos for acelerada”.

Segundo os analistas, a suspensão da entrada da carne argentina no Brasil (exceto industrializada e sem osso) não terá impacto sobre os preços, pois os volumes são pequenos. “A maior parte das importações brasileiras são cortes nobres para churrascarias, que não influenciam na composição dos preços”, diz Tito Rosa. O Brasil fechou 2005 com saldo de US$ 5,639 milhões na balança comercial do complexo carnes com a Argentina, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Fonte: Gazeta Mercantil

Deixe uma resposta