Novos rumos para a apicultura em Mato Grosso

A produção de mel em Mato Grosso ganha novas perspectivas com a criação da primeira cooperativa de apicultura do Estado, a Cooperativa de Apicultores do Mato Grosso (Coapismat), com sede no município de Conquista D’Oeste, a 571 km da capital. A ata de fundação foi assinada no último dia 10, às 16h, no auditório da Câmara Municipal. Cerca de 40 apicultores de seis associações, representando os municípios de Conquista D’ Oeste, Cáceres, Comodoro, Nova Lacerda, Porto Esperidião e Reserva do Cabaçal, se associaram a Coapismat.

Além de propor a união das associações, a cooperativa vai centralizar a comercialização da produção, abrindo as portas para a obtenção dos selos estadual e federal, concedidos pelo Serviço de Inspeção Sanitária Estadual (SISE) e Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Para o Prefeito e presidente da Associação dos Apicultores de Conquista D’ Oeste (Apicon), Walmir Guse, a cooperativa é mais do que a realização de um sonho, é a consolidação da apicultura em Mato Grosso. “Comercializar, esse é o principal objetivo dos apicultores e de qualquer produtor e, quando criamos, em parceria com todos os interessados, um mecanismo que garanta o processo legal para esse objetivo, fortalecemos nossa atividade abrindo novos caminhos”, comenta.

A região sudoeste é pioneira no projeto de desenvolvimento da apicultura em Mato Grosso, que tem como um dos objetivos apresentar uma alternativa de renda sustentável, gerando trabalho, renda e desenvolvimento sócio-ambiental.

Por iniciativa do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso (Sebrae/MT) em parceria com o Governo do Estado, prefeituras municipais, Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), Associação Matogrossense dos Municípios (AMM), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Escola Agrotécnica Federal de Mato Grosso (EAFC), o projeto ampliou o olhar para a diversificação do potencial do Estado para novas atividades do agronegócio, atuando na reorganização do setor e da cadeia produtiva, dando abertura para incentivos financeiros, capacitação técnica, prospecção de mercados entre outras ações.

Segundo o diretor superintendente do Sebrae/MT, José Guilherme Barbosa Ribeiro, a cooperativa é um marco para o setor e para a confirmação de um novo modelo mental. “Hoje com um mercado globalizado, altamente competitivo é fundamental que os pequenos unam forças para mostrar seu valor e ter condições de competir, a idéia de que sozinho é possível construir algo sólido, pode levar a frustrações. O cooperativismo é um modelo de associativismo que vem dando certo e que trabalha na perspectiva da inclusão e de benefícios coletivos”, acrescenta.

Além da cooperativa, a região sudoeste abriga a primeira casa do mel, também localizada no município de Conquista D’ Oeste. O município faz parte do Arranjo Produtivo Local (APL) de Apicultura, que envolve mais 20 municípios visando desenvolver a cadeia produtiva da apicultura na região. Além da região Sudoeste o projeto também atua na região noroeste, beneficiando inicialmente 13 municípios.

O que muda com a Cooperativa

O setor organizado em associações gerou muitos resultados positivos, porém sem amparo legal para comercializar a produção. Com a cooperativa os produtores farão a comercialização do mel, oferecendo um produto com a garantia de qualidade e com preço acessível ao consumidor.

De acordo com a presidente da Coapismat, Marlene Aparecida da Silva a cooperativa aumenta o poder de negociação do setor, influenciando em políticas públicas para a ampliação do projeto e o desenvolvimento da apicultura. “Unidos temos muito mais força, podendo influenciar de forma positiva o setor, para que novas ações contemplem e ampliem a atividade”, ressalta.

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta