Preço pago ao produtor do leite tem queda em Mato Grosso

Com retração no consumo, leite e seus derivados perderam valor no mercado e, consequentemente, achatou o preço pago ao produtor. Em Mato Grosso, o litro do produto é negociado por uma média de 96 centavos, o menor valor deste ano, segundo dados apurados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Em algumas regiões do Estado, o litro do leite chega a custar 86 centavos, segundo a Associação dos Produtores de Leite (Aproleite). De setembro para outubro, o valor pago pelo produto caiu 3,03%, saindo de 99 centavos por litro para 96 centavos. Quando comparado a outubro de 2016, a queda é de 11,93%, pois o produtor recebia na época cerca de R$ 1,09 em Mato Grosso.

O presidente da Aproleite, Valdécio Tarsis Rezende Fernandes, avalia que o ano de 2017 foi o pior dos últimos anos para a produção leiteira. “Tivemos muita redução no consumo. A crise afetou o poder de compra da população e o leite e derivados perderam mercado. E o ano de 2017 foi atípico, nunca o mercado foi tão ruim”, avalia ele, destacando que além da perda de preço do produto, os produtores ainda sofreram com o aumento no custo de produção e com a estiagem.

Segundo o boletim divulgado pelo Imea na segunda-feira, o volume de chuvas ocorridas em algumas cidades do Estado em outubro foi aquém do esperado e atrasou as programações de reforma das pastagens. “O pecuarista que deixou para última hora a aquisição de insumos para corrigir o solo encontrou produtos mais caros no mercado”, destaca, a exemplo da ureia, que subiu 28,3% de julho para outubro, e da semente de braquiária, que apresentou elevação de 2,6% de setembro para outubro.

Deixe uma resposta