Prova identifica melhoradores bovinos em Mato Grosso

Os animais participantes da prova de ganho em peso confinada, realizada de maio a novembro deste ano em Rondonópolis, atingiram a média de 1,3 quilo ao dia. O número é considerado excelente uma vez que a dieta foi balanceada para ganhos de no máximo 1,200 kg.

Ao todo, 93 foram classificados de acordo com o peso adquirido e características morfológicas e fisiológicas por meio de 2 índices, o Índice de Desenvolvimento Criasul (IDC) e da Associação Brasileira de Criadores de Zebuínos (ABCZ). Os animais foram submetidos à mesma dieta e condições de manejo durante 168 dias, sendo 56 de adaptação, cujo objetivo é alinhar as diferenças de criação entre animais que vieram de todo o Estado.

O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Duarte Soares, um dos idealizadores da prova, se disse satisfeito com os números alcançados. “Nosso principal objetivo é estimular o melhoramento genético e mostrar os resultados na prática, ou seja, quando se investe nessa tecnologia o desenvolvimento dos animais é superior”.

Os animais foram classificados a partir da média de pontos entre o ganho em peso e critérios específicos, como bom acabamento de carcaça e elevados escores visuais representados pela sigla EPMURAS (Estrutura, Precocidade, Musculosidade, Umbigo, Raça, Aprumos e Sexualidade). Assim, 20% foram considerados 5 estrelas pelo IDC e Elite pela ABCZ, outros 20% quatro estrelas ou Superior, os animais que não alcançaram essa pontuação foram considerados como regulares e inferiores.

O campeão atingiu 1,446 kg por dia, índice de 2,12 de marmoreio da carne e encerrou a prova com 478,6 kg. O último classificado terminou a prova com 405,8 kg e ganhou diariamente uma média de apenas 794,6 gramas.

As informações são da assessoria da Acrimat.

Deixe uma resposta