Reunião em Lucas debate novas tecnologias para a região

O prefeito Luiz Binotti se reuniu, na última quarta-feira, com representantes do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), engenheiros e empresários do setor de biotecnologia. O objetivo foi discutir projetos que visam fomentar a produção de tecnologia local.

Durante o encontro, os pesquisadores apresentaram as potencialidades da região e o projeto do sistema de inteligência e gestão territorial de biomassas, resíduos e efluentes para uso energético e agroindustrial no Brasil. A proposta é desenvolver um sistema informatizado e banco de dados customizado para subsidiar a gestão territorial de biomassas, resíduos e efluentes disponíveis nos municípios da região para uso energético e para agregação de valor.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Marcio Albieri, o objetivo de levantar esse debate é pensando no futuro, pensando nesta região daqui 20 anos e nas potencialidades para biotecnologia. “Estamos iniciando uma discussão em parceria com Sorriso, envolvendo a Embrapa, Embrapii, ABDI, e demais instituições, junto com os municípios, para pensar principalmente a questão da biotecnologia na nossa região. Temos em Lucas, o IFMT, que tem o curso de graduação em biotecnologia e estará trazendo o mestrado, e temos grandes empresas que já trabalham a biotecnologia. Esta região tem todas as condições para que seja conhecida como o vale da biotecnologia e a biotecnologia é o futuro. Estamos, juntamente com os municípios da região, iniciando a discussão pensando em desenvolver toda essa cadeia”, explicou.

Albieri também destacou que a prefeitura tem dado apoio para desenvolver essas ideias. “Quem sabe no futuro poderemos implantar um parque tecnológico aqui no município, que vá desenvolver não só a biotecnologia, mas também produtos ligados a automação agrícola”, pontuou.

O diretor executivo da Fundação Sorriso, Afrânio Cesar Migliari, também participou da reunião e apresentou a necessidade do envolvimento de todos os municípios da região para fomentar esta iniciativa. “Estamos trabalhando um projeto regional, com Lucas, Sorriso, dois técnicos da Embrapa Agroenergia, para que a gente possa desenvolver pesquisas e tecnologias locais, e principalmente utilizar os resíduos e efluentes. Queremos trazer a ideia de agregação de valor à nossa produção local, como a soja, milho, feijão, e pensar mais longe que é essa parte da tecnologia e inovação, e a biotecnologia é o futuro”, enfatizou.

Para iniciar o projeto, estão sendo levantadas as demandas e problemáticas dos municípios, para ir em busca das soluções tecnológicas e projetos inovadores para utilização dos resíduos e agregação de valor à produção.

Deixe uma resposta