Soja em Chicago trabalha ainda com estabilidade com fundos cautelosos

As diferenças entre as previsões climáticas para a América do Sul têm trazido bastante cautela aos operadores na Bolsa de Chicago, mantendo os preços ainda caminhando de lado neste início de 2018. No pregão desta quarta-feira, os futuros da soja trabalhavam com pequenas variações de menos de 1 ponto entre os vencimentos mais negociados.

O contrato março/18, por volta de 7h40 (horário de Brasília), tinha US$ 9,64 por bushel, perdendo 0,25 ponto, enquanto o julho/18 era cotado a US$ 9,86 e subia 0,25 ponto.

Essas incertezas, embora ainda não tenham se tornado ameaças, mantêm os fundos ajustando suas posições, principalmente nestes dias que antecedem o novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz na próxima semana.

“Fundos com um excedente de posições vendidas no Mercado, agora preferem diminuir um pouco de sua exposição ao risco, uma vez que as variações climáticas para a América do Sul continuam agressivas. Além do mais, as cotações na Bolsa de Chicago se mostram pouco alteradas emrelação ao ano passado”, diz o boletim diário da AgResource Mercosul. “A volatilidade deverá aumentar nos próximos dias”, completa o reporte.

Deixe uma resposta