Soja fecha em queda e bate nas mínimas de três meses na CBOT

O mercado futuro norte-americano da soja voltou a intensificar suas baixas e fechou no vermelho a sessão desta segunda-feira. As cotações encerraram o dia perdendo mais de 5 pontos, levando o janeiro/18 aos US$ 9,61 e o maio/18 – vencimento que é referência para a safra brasileira – aos US$ 9,83 por bushel.

Com o foco dos traders no clima da América do Sul, a melhora das condições na Argentina, sul do Brasil e Paraguai nos últimos dias pesou sobre os preços no início de semana, como explica o analista de mercado Luiz Fernando Gutierrez, da Safras & Mercado.

Segundo ele, ainda é cedo para se falar em safras cheias por aqui e, por isso, a incerteza climática ainda ronda o andamento do mercado. Dessa forma, com novas mudanças entre as condições, a direção dos futuros da commodity pode voltar a mudar.

Assim, com as baixas registradas nesta segunda, os preços registraram suas mínimas em três meses na Bolsa de Chicago na medida que a chegada das chuvas traz alívio, principalmente, aos produtores argentinos. “As chuvas no curto prazo na Argentina são o foco atual do mercado”, diz o chefe da Allendale, Rich Nelson.

E apesar do alívio trazido aos sojicultores e aos trabalhos de campo, especialistas afirmam que as lavouras irão precisar de ainda mais precipitações para se recuperarem de forma adequada.

As baixas na CBOT foram registradas e intensificadas também mesmo diante de novas vendas de soja anunciadas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de 396 mil toneladas de soja dos EUA para a China e de melhores números dos embarques semanais americanos.

Na semana encerrada em 14 de dezembro, os embarques americanos de soja somaram 1.774,555 milhão de toneladas, contra pouco mais de 1,2 milhão da semana anterior. NO acumulado do ano comercial, o total da oleaginosa embarcada já chega e 25.865,479 milhões de toneladas, menos do que as mais de 29 milhões de toneladas da temporada anterior, neste mesmo período.

No Brasil, a queda dos preços foi uma combinação do recuo das cotações em Chicago e de uma baixa do dólar nesta segunda. A moeda americana terminou o dia com R$ 3,98 e queda de 0,30%. No interior, o recuo chegou aos 2,31%, como foi o caso de Ubiratã/PR, onde o preço foi a R$ 63,50 por saca. Nos portos, a soja disponível voltou à casa dos R$ 73 por saca, com perdas de 1,34% em Paranaguá e de de 1,35% em Rio Grande.

Na soja da nova safra, R$ 73,50 no terminal paranaense e R$ 75 no gaúcho, com quedas de 2% e 0,40%, respectivamente.

Deixe uma resposta