Soja fecha estável nesta 5ª feira e pouca movimentação pesa sobre as cotações no Brasil

Nesta quinta-feira, após dois pregões consecutivos de alta na Bolsa de Chicago, os futuros da soja voltaram a recuar e terminaram o dia com ligeiras baixas entre os principais vencimentos. As posições mais negociadas perderam entre 0,75 e 2,25 pontos, com o março/18 valendo US$ 9,66 e o o maio/18, referência para a safra brasileira, US$ 9,77 por bushel.

Os traders, que mantêm o mercado ainda bastante estável, optaram por uma leve realização de lucros nesta sessão, mesmo mantendo seu foco sobre as previsões climáticas para a América do Sul. E embora os novos mapas sigam mostrando os próximos dias de tempo quente e seco na Argentina, o mercado ainda entende como ‘ameaças insuficientes’ para essa nova safra.

“A falta de ameaças entre as previsões para a Argentina também causam essa cobertura de posições depois das altas de ontem”, diz o analista sênior de mercado do portal internacional Farm Futures, Bryce Knorr. “Enquanto as temperaturas podem subir muito na principal região produtora do país, são esperadas melhores condições de chuvas e de temperaturas depois disso”, completa.

O plantio da nova safra argentina já chega a 87% da área estimada, como explica o analista de mercado Marcos Araújo, da Lansing Trade Group e esses tambám são números que começam a chegar ao mercado.

A recuperação das cotações, porém – já que o mercado perdeu mais de 10 pontos no início da sessão – se deu com a incerteza sobre a oferta da Argentina estimulando altas entre os preços do farelo e permitindo certa recuperação nas cotações da soja em grão, ainda segundo explicou Araújo.

No Brasil, os preços registraram um novo dia de baixas. A estabilidade na Bolsa de Chicago aliada à pouca movimentação do dólar frente ao real segue limitando o espaço para uma recuperação dos indicativos no mercado nacional. A moeda americana, nesta quinta, fechou com ume ligeira baixa de 0,08% e sendo cotada a R$ 3,234. Nas três primeiras sessões do ano, no entanto, já acumula um recuo de 2,43%.

Com esse quadro, as baixas no interior do país variaram de 0,78% a até 2,10% entre as principais praças de comercialização. Nos portos, a baixa mais acentuada foi a registrada na soja disponível no porto de Rio Grande, de 0,97% para R$ 71,60 por saca. A safra nova fechou o dia com R$ 73,50 e caindo 0,68%. Em Paranaguá, R$ 72 nas duas referências, com perdas de 0,96% e 0,69%, respectivamente.

Deixe uma resposta