Soja: mercado tem leves altas em Chicago e mantém foco sobre clima e demanda  

Depois das altas intensas registradas no pregão anterior, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago trabalham com estabilidade na manhã desta terça-feira (15). As cotações, por volta de 7h50 (horário de Brasília), subiam entre 0,50 e 1,50 ponto nas posições mais negociadas, com o contrato julho/18 valendo US$ 10,19 por bushel.

O mercado internacional reage com cautela, segundo explicam analistas e consultores, ao bom progresso do plantio da nova safra dos Estados Unidos.

O boletim semanal de acompanhamento de safras, trazido ontem no fim da tarde pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), mostrou que já há 35% da área semeada no país, contra 15% da semana anterior, 29% do ano passado e 26% da média dos últimos cinco anos. Para a oleaginosa, os traders esperavam algo entre 30% e 32%.

Paralelamente, segue o acompanhamento das negociações entre China e Estados Unidos, que serão retomadas nesta terça. Um delegação chinesa liderada pelo vice-premier visita a Casa Branca para uma nova rodada de conversas sobre as relações comerciais entre os dois países.

Os traders especulam que ao menos as tarifas de US$ 50 bilhões sejam postergadas, não entrando em vigor no final deste mês como está previsto.

Ainda nesta terça, atenção aos números da NOPA (Associação Nacional dos Processadores de Oleaginosas dos EUA) sobre o esmagamento de soja em abril.

Deixe uma resposta