Soja precoce foi bem valorizada nesta safra em Mato Grosso

Ainda sem números contabilizados do volume de soja super precoce e precoce comercializado no início da safra 2005/06, o analista de mercado da AgRural em Cuiabá (MT), Seneri Paludo, conta que os preços da oleaginosa, posto Cuiabá, atingiram R$ 27. “Isso em janeiro. Agora, não passa de R$ 20,30”.

A AgRural estima que das 16,50 milhões de toneladas (t) de soja projetadas para a safra 2005/06 de Mato Grosso, apenas 5% tenham sido cultivadas como precoce ou super-precoce. “Esse plantio implica riscos. O solo não está com bom volume hídrico em setembro, quando essa variedade é plantada. Em ano de recursos escassos, poucos produtores se arriscaram”. De qualquer maneira, o volume que foi colocado à disposição do mercado, ainda no período considerado entressafra no Brasil, “foi todo comercializado”. Lucas do Rio Verde (360 quilômetros ao Médio Norte de Cuiabá) é o primeiro a plantar a nova safra brasileira da oleaginosa.

Pré-fixada – Pela boa sinalização de preços para a saca no mercado internacional, os produtores cederam as negociações futuras. A safra atual está com 23% da produção vendida antecipadamente. “Até fevereiro de 2005 não havia registro de vendas nesta modalidade”, lembra o analista. A safra 2004/05 começou depois de uma oscilação bruta da commodity. “Isso deixou o mercado sem referências”.

Paludo frisa que alguns produtores, ao travar preços futuros, fizeram um bom negócio. “A média de preços ficou entre US$ 6,50 a US$ 7 por bushel, mas houve clientes nossos que registraram contratos antecipados com o bushel variando entre US$ 7,30 até US$ 7,40. Atualmente o bushel está em cerca de US$ 5,87”.

Fonte: Diário de Cuiabá

Deixe uma resposta