Soja sobe nos portos brasileiros com foco no dólar

Na sessão desta terça-feira, os preços da soja na Bolsa de Chicago encerraram o dia próximos da estabilidade, registrando apenas leves baixas entre as posições mais negociadas. O contrato janeiro/18 ainda mantém a proximidade dos US$ 9,80 por bushel, enquanto o maio/18 – referência para a safra brasileira – conseguiu também manter o patamar dos US$ 10 por bushel.

As cotações reagiram de forma bastante modesta aos números que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe neste dia 12 de dezembro, em seu novo boletim mensal de oferta e demanda, já que os novos dados vieram bem em linha com as expectativas do mercado.

Uma redução nas exportações norte-americanas de soja, bem como um aumento leve nos estoques finais dos EUA foram confirmados pelo departamendo, justamente como esperavam analistas e consultores de mercado. As revisões, porém, foram bastante tímidas.

“Este, normalmente, é um relatório sem novidade. Em janeiro sim temos a definição da safra dos EUA e uma melhor estimativa da evolução do Brasil e da Argentina. Então, o que esperar do boletim de dezembro? Apenas pequenos ajustes”, diz Camilo Motter, analista de mercado e economista da Granoeste Corretora de Cereais.

No quadro mundial, a produção sofreu um ligeiro reajuste de 348,89 para 348,87 milhões de toneladas, com os estoques finais crescendo de 97,9 para 98,32 milhões de toneladas. Entre os números do Brasil, aumento das exportações para 65,5 milhões de toneladas e redução dos estoques para 21,86 milhões de toneladas.

No quadro paralelo, ainda segundo Motter, prevalece a influência maior das condições climáticas na América do Sul daqui em diante, bem como a movimentação cambial. “Acho que esse é o ponto forte de atenção, no sul do Brasil e Argentina, especialmente. A região sujeita à estiagem é grande, mas cada dia é uma história”, diz.

Mercado no Brasil

Com essa pouca movimentação de Chicago, a maior parte das praças de comercialização no interior do Brasil terminaram o dia com estabilidade entre suas referências. Assim, os indicativos para a soja disponível ainda variam entre R$ 56 e R$ 74,30 por saca. Os destaques nesta terça-feira, porém, ficaram por conta de algumas localidades em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, como São Gabriel do Oeste, onde o preço subiu 4,10%.

Apoiados no bom momento do dólar frente ao real, as cotações da soja nos portos subiram. Em Paranaguá, alta de 1,34% no disponível e de 1,33% para a safra nova, com preços em R$ 75,50 e R$ 76 por saca, respectivamente. No terminal de Rio Grande, por sua vez, as altas ficaram em 0,67% e 0,65%, para R$ 75 e R$ 77 por saca.

Nesta terça, a moeda americana fechou com quase 1% de alta, chegando aos R$ 3,32 ainda focado na cena política nacional. “O mercado está em compasso de espera… O volume (de negociações), inclusive, tem diminuído”, afirmou o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado à agência de notícias Reuters. “O dólar, no entanto, tem respeitado os 3,30 reais, não tem se afastado muito desse patamar”, emendou.

Deixe uma resposta