USDA prevê crescimento de 31% na exportação de carne em 2006

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estima que a produção de carne bovina do país vai subir para quase 11,8 milhões de toneladas, ou 5,2% maior que as 12,3 milhões de toneladas do ano passado. O número foi divulgado nesta sexta-feira (17-02) no Fórum que reúne o setor agrícola em Arlington, na Virgínia.

A agência estima ainda que o número de animais em confinamento neste ano seja 3% superior ao registrado no ano passado, enquanto o abate no período deve crescer 5%. O aumento das importações de gado vivo do Canadá ampliará a oferta norte-americana, de acordo com o USDA.

Para as exportações de carne bovina em 2006, a expectativa do USDA é de aumento de 31% sobre o ano anterior, devendo atingir a marca dos 401,5 mil toneladas, ante 316,6 mil toneladas em 2005. México e Canadá permaneceram como os principais destinos da carne bovina norte-americana em 2005. As vendas para o Japão devem continuar limitadas neste ano, por causa do preço mais alto e da competitividade com a carne australiana, mais barata.

A produção comercial de suínos deve atingir 9,6 milhões de toneladas, 2,5% mais que o recorde do ano passado de 9,4 milhões em 2005. O USDA, porém, não estima aumento do rebanho. As vendas externas de carne de porco devem subir em torno de 4% neste ano, para o recorde de 1,3 milhão de toneladas. Em 2005, os principais mercados consumidores foram o Japão, México e a Coréia do Sul. As exportações de carne suína para a Ásia ajudaram a compensar o vácuo deixado pelas fracas vendas de carne bovina e de frango, por conta do receio com a vaca louca (encefalopatia bovina espongiforme) e com a variante mais patogênica da gripe aviária.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta